Primeiros Socorros no Fitness

Os primeiros socorros no desporto estão relacionados principalmente com as lesões musculares, ferimentos e fraturas.

Saber como agir nestas situações e o que fazer para que o quadro não se agrave, pode fazer a diferença.

É importante salientar que todas as lesões devem ser tratadas por um profissional devidamente qualificado, para que a situação não se agrave.

Outra situação recorrente durante a prática de desporto é o aparecimento de cãibras, que são contrações involuntárias dos músculos, que podem ocorrer nas pernas, braços ou pés.

As cãibras podem acontecer, por exemplo, por desidratação ou fadiga muscular, mas são facilmente tratadas com alongamento e repouso.

Neste artigo vamos abordar os três tipos de lesões mais frequentes no desporto.

Fitness e Primeiros Socorros

Primeiros Socorros Fitness Dicas CEFAD

1. Lesão muscular

Os primeiros socorros para a lesão muscular vão ajudar a diminuir a dor e auxiliar o indivíduo para que este não necessite de se afastar da prática de desporto por muito tempo.

Devemos ter em conta que a lesão muscular é dividida por categorias, como os estiramentos, contusões, luxações, torção e entorse.

Todas estas lesões vão danificar o músculo em alguma intensidade e, em certos casos, é necessário que um médico avalie o grau da lesão, na maioria dos casos a recuperação não é demorada e não deixa sequelas.

Os primeiros socorros na lesão muscular incluem:

  • Sentar ou deitar o indivíduo;
  • Colocar a parte lesionada na posição mais confortável. Se for uma perna ou um braço, pode-se levantar o membro;
  • Aplicar uma compressa fria na lesão por 15 minutos (no máximo);
  • Envolver com firmeza o local afetado.

No desporto, em certos casos, quando ocorrem lesões musculares, os músculos podem ficar inflamados, esticados ou rasgados. Recomenda-se procurar um médico caso a dor continue por mais de 3 dias.

2. Ferimentos

Os ferimentos da pele são dos mais comuns no desporto, e são divididos em dois tipos:

  • ferimentos de pele fechada 

  • ferimentos de pele aberta.

Nos ferimentos de pele fechada a cor da pele muda para um vermelho que em algumas horas pode escurecer para manchas arroxeadas. Nestes casos indica-se: 

  • Aplicar compressas frias sobre o local por 15 minutos, duas vezes ao dia;
  • Imobilizar a região afetada.

No caso de lesões de pele aberta, recomenda-se mais cuidado, uma vez que há risco de infeções devido ao rompimento da pele e sangramentos. Nestes casos deve-se

  • Lavar o ferimento e a pele com água e sabão;
  • Colocar no ferimento uma solução antisséptica;
  • Aplicar uma gaze ou compressa esterilizada até a ferida cicatrizar.

Se o ferimento continuar a doer, estiver inchado ou muito quente, deve-se consultar um médico.

No caso de haver um ferimento por perfuração, por exemplo, com caneta, um pedaço de ferro, ou qualquer outro objeto, não se deve retirá-los, devido ao risco de sangramento.

Primeiros Socorros Fitness Dicas CEFAD-01

3. Fraturas

Uma fratura é uma quebra ou rachadura de um osso, podendo ser aberta, quando a pele é rasgada, ou interna, quando o osso se quebra, mas a pele não se rasga.

Este tipo de acidente provoca dor, inchaço, movimento anormal, instabilidade do membro ou até deformidade, por isso, não se deve pegar na vítima e é extremamente importante esperar pela ambulância para que a vítima receba cuidado medico o mais rápido possível.

Alguns sinais que ajudam a identificar uma fratura são:

  • Dor intensa localizada;
  • Perda total da mobilidade no membro;
  • Presença de deformação na pele da região;
  • Exposição do osso através da pele;
  • Mudança da coloração da pele.

Caso exista suspeita de fratura recomenda-se:

  • Chamar imediatamente uma ambulância;
  • Não fazer qualquer pressão sobre a área da fratura;
  • Em caso de fratura aberta, lavar com soro fisiológico;
  • Não fazer movimentos desnecessários no membro;
  • Imobilizar a parte fraturada enquanto se espera pela ambulância.

Normalmente o tratamento para fraturas, sendo abertas ou fechadas é feito por imobilização total do membro fraturado. O período de tratamento é longo, sendo que em alguns casos pode chegar até 90 dias. 

Bibliografia

MANUAL MSD. Cãibras musculares. 

Nelson Teixeira Baptista. Manual de Primeiros Socorros. 3º ed. Sintra, 2012. p 135-157.

Interprev. Manual de Formação: Primeiros Socorros no Ambito Laboral. 1. ed. Portugal: 2015. p. 0 – 33.

Gostaste deste artigo? Partilha com os teus amigos :

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Centro Formação CEFAD
Centro Formação CEFAD

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Índice
Blog Posts em Destaque
Linguagem um Elemento Transformador Dicas CEFAD photo

A linguagem como elemento transformador

A linguagem é um elemento poderoso que molda a forma como olhamos o mundo ao nosso redor. Ela deve ser pensada como um lugar de interação, de constituição de identidades, de representação de papeis, de negociação de sentidos e encarada não só como forma de representação do mundo, mas essencialmente, como forma de interação social.

Conversas de ginásio: A gíria ginasiana

Conversas de ginásio: A gíria ginasiana

O profissional do fitness é um caso paradigmático do uso da gíria. Também ele tem vindo a contribuir para o enriquecimento lexical da língua portuguesa com palavras e expressões que atestam a singularidade da linguagem ginasiana (chamemos-lhe assim). Língua viva A língua é como um músculo, precisa de estar em constante movimento ou então esmorece,

Leijon ME, Faskunger J, Bendtsen P, Festin K, Nilsen P. Quem não adere às recomendações de atividade física e por quê?. Cuidados de Saúde. 2011;29(4):234-40. - Clark, M.A. & Luccet, S.C. NASM essentials of corrective exercise training. 2011 - Conceito Atuais em Alongamento Muscular para Exercício e Reabilitação. Jornal Internacional de Fisioterapia Desportiva. 2012;7(1):109-119.

Reabilitação Muscular da Coluna Vertebral nos Desvios Posturais e Dor de Costas

Existem dois tipos de pessoas: As que têm dores de costas e…… ….as que vão ter dores de costas!! Segundo a Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, 7 em cada 10 portugueses sofrem ou já sofreram de dores nas costas. 80% das lombalgias são de origem mecânica e uma grande percentagem deve-se a razões

Scroll to Top