Animal Flow: Nova Forma de Treinar

Já ouviste falar do Animal Flow?  Esta modalidade foi criada pelo norte-americano Mike Fitch, professor de fitness e focado em treinos com o peso do corpo.

Em crianças fomos “treinados” para imitar sons de animais, como a galinha, o coelho e até mesmo o porco, nesta modalidade, tal como o nome indica, és incentivado a produzir movimentos de animais.

Animal Flow Dicas CEFAD

Mas afinal o que é o Animal Flow?

O Animal Flow é um programa de movimentos baseados e desenvolvidos sobre a terra (ground), divertido, desafiante e eficiente.

O principal objetivo desta modalidade é melhorar a força, a potência, a flexibilidade, a mobilidade e a coordenação em pessoas sedentárias ou ativas.

O AF é uma forma inovadora de treino de movimento quadrúpede (QMT) que consiste em movimentos quadrúpedes dinâmicos que são praticados, sequenciados com outros movimentos e, finalmente, vão ser coreografados num fluxo (uma série de movimentos AF ligados entre si).

Muitos destes elementos de QMT são utilizados para:

  • Reabilitação física de lesões;
  • Tratamento de doenças neurológicas; e como parte de
  • Aquecimento dinâmico ou como exercícios acessórios.

As 6 componentes do Animal Flow

Existem “seis componentes” de Animal Flow, incluem uma variedade de movimentos e combinações. Cada uma destas componentes foi pensada para obter resultados específicos.

As componentes podem ser misturadas e combinadas de várias formas, o que vai permitir integrar uma, algumas ou todas nos teus treinos. Dividem-se em:

  • Movimentos de pulso.

  • Ativações musculares.

  • Formas específicas de alongamento.

  • Formas de viajar.

  • Conexões e Transições.

O que é necessário para praticar Animal Flow?

É necessário apenas um conjunto de elementos para a prática eficaz e eficiente do Animal Flow, como por exemplo:

  • Treinador devidamente qualificado
  • Individualização e Avaliação do trabalho
  • Foco
  • Perseverança
  • Espaços amplos

Os principais exercícios de alongamento consistem em colocar pressão nos músculos e depois relaxá-los, lentamente.

Benefícios associados ao Animal Flow

O AF é responsável pelos seguintes benefícios:

  • Reprogramação da mobilidade perdida pelo estilo de vida sedentário.
  • Aumento da flexibilidade da coluna.
  • Melhoria da estabilidade articular.
  • Aumenta a consciência e controlo corporal.
  • Fortalece os membros superiores, core e inferiores.
  • Integração de movimentos completos e com baixo impacto articular.
  • Criação de movimentos acessórios de um programa de força e resistência orientado para a saúde ou o rendimento.

Animal Flow: Posições

Como referimos anteriormente, as posições do Animal Flow baseiam-se nas diferentes categorias que determinam as 6 componentes do treino.

Desta forma, achamos relevante apresentar os diferentes blocos de trabalho e exemplos de exercícios dos mesmos:

1. Movimentos de pulso

Movimentos simples, mas eficientes que são utilizados para preparar as mãos e pulsos para os desafios do Animal Flow.

Para o sucesso de desportistas principiantes e experientes é importante ter pulsos saudáveis, desta forma os seguintes exercícios são pertinentes:

  • Wrist Rolls.
  • Wrist Waves.
  • Prayer Stretch.
  • Wrist Shakers.
  • Wrist Relief.
  • Quadruped Wrist.

A primeira componente a ser trabalhada nos treinos, deve ser mobilidade articular.

2. Ativações

Neste tipo de exercício, vamos “despertar” o corpo e incentivá-lo a comunicar entre si.

A prática de AF utiliza duas posições de ativação, Beast e Crab, que são formas fundamentais no programa geral.

3. Formas específicas de alongamento (FSS)

Dicas CEFAD Animal Flow-01

Os FSS são alongamentos gerais que começam numa posição base de animal e depois movimentam-se através de vários intervalos de movimento. Exemplo:

  • Loaded Beast Unload.
  • Loaded Beast Wave.
  • Ape Reach.

4. Formas de viajar

Aqui entram os movimentos de locomoção animal, onde imitamos os animais para melhorar a função do corpo humano. Agrupamos estas formas no ABC dos movimentos dos animais: Ape, Beast e Crab, e as suas variantes.

  • Forward/Reverse Beast.
  • Forward/Reverse Ape.

5. Conexões e Transições

Dicas CEFAD Animal Flow-01-01

As Conexões constituem a maior parte do “Flow” (Fluxo) na prática de AF.

Estes são movimentos dinâmicos que podem ser ligados para formar combinações infinitas, ou podem ser independentes como uma habilidade ou um exercício de potência.

6. Flows

Os flows são onde se juntam todas as componentes do AF. Os fluxos podem ser realizados de diferentes formas, mas existem 3 estilos principais:

  • Choreograped (Coreografado).
  • Call-Outs (Chamadas).
  • Free Flow (Fluxos Livres).

Conclusão

O Animal Flow é sem dúvida um método muito interessante e até engraçado.

Pode ser aplicado durante o aquecimento, quando é dividido em preparação do movimento e alongamentos dinâmicos, incluindo então, alguns exercícios de Animal Flow, mas este deve ser adaptado a cada pessoa.

Num treino de AF são trabalhados os músculos secundários, como os que estão à volta do joelho, o quadril e a tíbia, que contribuem para a estabilidade, rotação e suporte do corpo. Consoante a intensidade dos exercícios, um aluno pode queimar até 1000 calorias, por aula.

Em algumas aulas são combinados posições e movimentos de ioga, capoeira, artes marciais, breakdance, ginástica, idênticos aos de animais como gorilas, caranguejos, minhocas, jacarés ou escorpiões.

Os exercícios devem ser adaptados ao nível do aluno, não existindo limite de idade ou uma determinada condição física para praticar.

Este tipo de treino é ideal para praticar em casa, pois combina trabalhos de mobilidade articular e ativação muscular, padrões de locomoção básicas e avançadas, movimentos dinâmicos de elevada exigência muscular, alongamentos globais e dos fluxos de movimento.

No entanto, não devemos descurar a procura de um profissional devidamente qualificado, para que seja possível treinar em segurança.

Devemos ressaltar que é necessário muita coordenação e flexibilidade, numa aula que envolve uma sequência de vários exercícios.

Já existem alguns fãs da modalidade e se tu ficaste curiosidade e pretendes saber mais, convidamos-te a ver o vídeo para perceberes melhor como funciona:

Bibliografia:

  1. Fitch, M. (2019). What is Animal Flow? Animal Flow. Recuperado de https://animalflow.com/what-is-animal-flow/
  2. Treino Natural (2020). Animal Flow: Recupera a tua natureza interior. Treino Natural. Recuperado de https://www.entrenamientonatural.com/animal-flow-3-2/
  3. Rachel Hosie (2021). Animal Flow workout combines yoga, break-dancing, and meditation. Recuperado de https://www.insider.com/what-is-animal-flow-floor-workout-combining-mobility-and-meditation-2021-4
  4. James Woodley for Men’s Journal, The Animal Flow Workout to Level-Up Your Bodyweight Training. Recuperado de https://www.mensjournal.com/health-fitness/this-animal-flow-workout-will-get-you-stronger-without-any-weights/

Gostaste deste artigo? Partilha com os teus amigos :

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Centro Formação CEFAD
Centro Formação CEFAD

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Índice
Blog Posts em Destaque
Dicas CEFAD a osteopatia photo

A Osteopatia

Ao sentir-se dores do corpo causadas por problemas nas articulações, ossos e músculos, a primeira solução que se procura, muitas vezes, é a toma de medicamentos ou a realização de cirurgias. No entanto, existem opções de tratamento menos invasivas, como a Osteopatia. Em consulta, o profissional deve avaliar a situação do paciente por meio do

Dicas CEFAD Massagem Transversal-

Massagem Transversal Profundas e as Tendinopatias

Uma tendinopatia, ou também por muitos conhecida por tendinite, é uma lesão no tendão, geralmente por estar sujeito a uma grande carga mecânica, caraterizada pela dor, edema e por vezes presença de inflamação. É uma lesão prevalente em todas as idades e géneros, contudo é mais comum em pessoas ativas e, principalmente, atletas. O excesso

Exercise in Health and Illness Dicas CEFAD-01

Exercício Físico na Saúde e na Doença

A expressão “na saúde e na doença” aplica-se normalmente noutro contexto, mas pode-se muito bem aplicar ao exercício físico, por ser uma ferramenta poderosa na prevenção e promoção da saúde, bem como coadjuvante terapêutico numa série de condições clínicas. A evidência científica é inquestionável. Ao longo do artigo pretendo alertar para a pandemia da inatividade

Scroll to Top