Treino de Hipertrofia

O treino de hipertrofia muscular deve ser realizado, preferencialmente, num ginásio, pois são necessários aparelhos e equipamentos com grande peso para estimular a construção muscular

Para garantir que o treino é bem feito, é muito importante ter orientação de um profissional devidamente qualificado, que irá delinear um plano de treino adequado às características corporais e necessidades individuais.

Para quem nunca fez musculação, é comum associar a hipertrofia a uma imagem de um fisiculturista cheio de massa muscular ou então com um corpo esbelto que vemos nas capas de revistas.

E são essas imagens que muitas pessoas seguem quando iniciam a Musculação. Mas será que são conceções corretas?

No artigo de hoje, vamos começar por identificar as diferenças entre “treino para ficar grande” e “treino para definir”.

Conceitos que deves ter em conta:

  1. Hipertrofia Muscular

    O significado de hipertrofia está relacionado ao desenvolvimento ou crescimento de um órgão ou de parte dele, devido a um aumento do tamanho ou quantidade das células constituintes. Traduzindo, o músculo quando estimulado desenvolve-se aumentando de tamanho.

  2. Definição Muscular

    Um músculo definido é aquele que não possui gordura considerável entre ele e a pele, dando mais contorno e fazendo com que o mesmo fique mais aparente

Treino de Hipertrofia Dicas CEFAD-01

Diferença entre Treino de Hipertrofia e a Definição Muscular

Na verdade, de uma forma geral, não há! No entanto, será que existem diferenças quando se trata de exercícios ou quantidade de repetições?

Não há uma fórmula de treino para isso, isto é, não há receita de bolo para nenhum milagre a curto prazo.

A verdade é que os dois treinos com suas repetições irão fazer com que o músculo seja estimulado causando a hipertrofia e provocando também o gasto calórico devido ao esforço e consumo metabólico. Segundo estudos, o importante no treino é a intensidade com que é realizado.

Porquê que os treinos possuem variações?

Estas variações nos treinos são importantes para estimular o músculo de formas distintas, seja com mais peso e menos repetições ou com menos peso e mais repetições.

Como é óbvio, o nosso músculo não sabe contar e nem sabe qual é o peso que está a levantar, o que ocorre é um estímulo para a produção de força e quando não conseguimos levantar o peso, há a fadiga muscular, significa que o músculo não consegue produzir a mesma qualidade de contração e força.

Como fazer para definir e não ficar grande e vice-versa?

Para além da prática da musculação, o grande segredo entre estes dois objetivos está na alimentação. É importante a associação do trabalho em equipa com nutricionistas, técnicos de exercício físico, para se garantir um melhor resultado.

A definição muscular depende da massa muscular e do facto de não haver uma camada de gordura cobrindo esses músculos, em especial, na região abdominal.

Portanto, nesse objetivo a ingestão calórica tem que ser menor que o gasto, para que haja um défice calórico e consequentemente perda de gordura. O trabalho do Personal Trainer pode intensificar o foco no gasto dessas calorias, mas o consumo adequado é essencial para ter sucesso nesse objetivo.

E para ficar “grande”, a ingestão de calorias deve ser proporcionalmente alta para que haja a construção de massa muscular.

É importante salientar que os dois objetivos são concorrentes, ou seja, as estratégias são diferentes, pelo que é importante definir primeiro o objetivo que queremos.

Conclusão

Não existe forma de ficar definido sem ter massa muscular considerável e fazer apenas aeróbico pensando que assim irá perder gordura, pois dessa forma perde-se massa muscular, ou seja, é um erro restringir a alimentação de forma irresponsável.

É importante ter em conta que, quando se chega às medidas que se deseja, não é recomendado parar de treinar. Neste caso, deve-se continuar o treino, mas não se deve aumentar o peso dos aparelhos. Assim, o corpo mantém-se nas mesmas medidas, sem haver aumento nem perdas de volume.

Bibliografia

  1. Fleck & Kraemer. Fundamentos do treinamento de força muscular. Steven J. Tradução Jerri Luiz Ribeiro. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

  2. Hamilton DL et al. Molecular mechanisms of skeletal muscle hypertrophy: Using molecular biology to understand muscle growth. Muscle Plasticity

  3. Advances in Biochemical and Physiological Research, 2009: 45-93.

  4. Menndelson M et al. Impact of exercise training without caloric restriction on inflammation, insulin resistance and visceral fat mass in obese adolescents. Pediatr Obes. 2015 Aug;10(4):311-9. doi: 10.1111/ijpo.255.

  5. Paoli A et al. Beyond weight loss: a review of the therapeutic uses of very-low-carbohydrate (ketogenic) diets. Eur J Clin Nutr. 2013 Aug;67(8):789-96. doi: 10.1038/ejcn.2013.116. Epub 2013 Jun 26

  6. Schoenfeld BJ et al. Effects of low-Versus High-Load Resistance Training on Muscle Strength and Hypertrophy in Well-Trained Men. J Strength Cond Res. 2015; 29(10):2954-63

Scroll to Top