Reabilitação Muscular da Coluna Vertebral nos Desvios Posturais e Dor de Costas

Existem dois tipos de pessoas:

As que têm dores de costas e……

….as que vão ter dores de costas!!

Artigo CEFAD_coluna

Segundo a Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, 7 em cada 10 portugueses sofrem ou já sofreram de dores nas costas.

80% das lombalgias são de origem mecânica e uma grande percentagem deve-se a razões psicossociais (stress, depressão).

A sintomatologia álgica na coluna vertebral pode estar relacionada com:

– aumento da tensão muscular

– maior força de compressão na coluna vertebral

– maior compressão nos discos intervertebrais

– menor vascularização

– mecânica deficiente

Desta forma, a generalidade dos indivíduos com dor lombar e/ou cervical apresentam:

– mobilidade reduzida

– proteção muscular desequilibrada

Introdução

Artigo CEFAD_coluna_photo_2

A coluna vertebral é constituída por:

– COLUNA CERVICAL – 7 VÉRTEBRAS CERVICAIS (C1-C7)

– COLUNA DORSAL OU TORÁXICA – 12 VÉRTEBRAS TORÁXICAS OU DORSAIS (D1-D12)

– COLUNA LOMBAR – 5 VÉRTEBRAS LOMBARES (L1-L5)

– SACRO E CÓCCIX

– DISCOS INTERVERTEBRAIS

Os discos intervertebrais são as estruturas encarregadas de amortecer cargas e pressões ao longo da coluna vertebral, evitando com isto que qualquer traumatismo um pouco mais intenso acarrete sérias consequências sobre a coluna e provoque fratura de vértebras. Existem entre cada duas vértebras.

Conceito de Postura

postura estática)e funcional (postura transicional e dinâmica) de todos os componentes do sistema humano em qualquer momento, controlado pelo sistema nervoso central.”

 Há um conjunto de situações que poderão causar um mau desenvolvimento postural, nomeadamente:

– Inatividade Física

– Movimentos quotidianos errados

– Esforços psíquicos e stress

– Posturas incorretas

– Calçado inadequado

Deste facto, podem advir os dois tipos de desvios posturais mais comuns:

  1. SÍNDROME CRUZADA ALTA
  2. SÍNDROME CRUZADA BAIXA

1. SÍNDROME CRUZADA ALTA

A nossa coluna não é direita, tem curvas, e é normal. São estas curvas que nos ajudam, por exemplo, a manter a postura. Na zona torácica, estas devem ter entre 20 a 45º. Quando essas curvas são excessivamente acentuadas (com mais de 50º), podem não só dificultar uma boa postura, como a adoção da posição de pé. Há um nome para estes casos: cifose. Este problema de coluna, que se caracteriza por uma curvatura saliente na zona superior das costas, é coloquialmente denominada corcunda.

Os sintomas e sinais da cifose não são iguais em todas as pessoas, dependendo, por exemplo, do que está a causar a curvatura na coluna e da gravidade da deformação. Alguns exemplos são:

– Ombros curvados e/ou um alto (corcunda) visível na zona superior das costas – estes são os sinais mais característicos da cifose

– Dificuldade em executar tarefas simples na posição de pé (cozinhar, por exemplo), sem estar apoiado

– Tendência para fitar o chão e não o horizonte

– Diferença de altura entre os dois ombros

– Cabeça mais inclinada para a frente comparativamente ao resto do corpo

– Altura da zona superior das costas parece mais elevada que o normal quando a pessoa se dobra para a frente

– Dor de costas

– Fadiga extrema

– Rigidez na coluna

– Tensão e inibição muscular

 

De forma mais minuciosa, poderemos verificar:

 

MUSCULATURA POTENCIALMENTE INIBIDA (FRAGILIZADA)

 

MUSCULATURA POTENCIALMENTE HIPERATIVA

 

ROMBÓIDES

TRAPÉZIO MÉDIO E INFERIOR

DELTOÍDE POSTERIOR

COIFA ROTADORES

GRANDE PEITORAL

PEQUENO PEITORAL

DELTOIDE ANTERIOR

GRANDE DORSAL

GRANDE REDONDO

TRAPÉZIO SUPERIOR

ESTERNOCLEIDOMASTOIDEU

ESCALENOS

ANGULAR DA OMOPLATA

PLANO DE REABILITAÇÃO E CORREÇÃO POSTURAL DEVERÁ CONTER: 

RELAXAMENTO E ALONGAMENTO

EXERCÍCIOS CORRETIVOS DE REFORÇO

Musculatura Peitoral

Musculatura do Pescoço

Trapézio Superior

Elevador da omoplata

Esternocleidomastóideo

Estabilização da Omoplata

Retração

Depressão

Fortalecimento dos estabilizadores da coluna cervical

2. SÍNDROME CRUZADA BAIXA

lordose é uma curvatura naturalmente localizada nas regiões cervical e lombar da coluna. Quando a curvatura da lordose é acentuada a chamamos de hiperlordose.

A acentuação da lordose lombar pode causar desequilíbrio neste segmento, com aumento da sobrecarga nas estruturas da coluna como articulações facetárias, discos intervertebrais e ligamentos, bem como na musculatura lombar.

A hiperlordose pode ser causada por má postura, sedentarismo, obesidade, ou situações como a gravidez, onde o sobrepeso pode impactar na musculatura lombar.

Outras causas específicas relacionadas ao surgimento da hiperlordose podem ser um encurtamento e fraqueza na musculatura dos quadris ou posterior dos membros inferiores, falta de fortalecimento abdominal e paravertebral.

Na mecânica da coluna devemos compreender que mobilidade e flexibilidade estão diretamente relacionadas, bem como podem ser entendidas como complementares, e são essenciais para vermos o impacto da hiperlordose no quotidiano.

Um equilíbrio e distribuição adequada de forças nessas estruturas é fundamental para preservar o movimento e as estruturas relacionadas.

Quando há um comprometimento dessas estruturas pode haver reflexos na postura e consequentemente em nossa mobilidade em geral.

Com mais detalhe poderemos verificar que:

MUSCULATURA POTENCIALMENTE INIBIDA (FRAGILIZADA)

 

MUSCULATURA POTENCIALMENTE HIPERATIVA

 

GLÚTEO MÁXIMO

ISQUIOTIBIAIS

PAREDE ABDOMINAL

MULTÍFIDUS

PERÍNEO

PSOAS ÍLIACO

RETO FEMURAL

COSTUREIRO

GRANDE DORSAL

ADUTORES

TENSOR DA FÁSCIA LATA

EXTENSORES DA COLUNA LOMBAR

 

 

PLANO DE REABILITAÇÃO E CORREÇÃO POSTURAL DEVERÁ CONTER: 

RELAXAMENTO E ALONGAMENTO

EXERCÍCIOS CORRETIVOS DE REFORÇO

Psoas Ilíaco

Recto Femural

Adutores

Tensor da fáscia lata

Costureiro

Grande Dorsal

Extensores coluna lombar

Grande Glúteo e Isquiotibiais

Aumentar a comunicação com a parede abdominal profunda (Bracing)

Retroversão da bacia

Reforço da parede abdominal

Melhorar a propriocetividade

 

Alongamento para alívio da dor nas costas

Alongamento regular dos músculos, tendões e ligamentos que sustentam a coluna é um elemento importante de toda a prescrição de exercícios para as costas. 

Os benefícios do alongamento incluem:

  • Reduz a tensão nos músculos que sustentam a coluna. A tensão nesses músculos pode piorar a dor causada por uma série de condições de dor nas costas
  • Melhora a amplitude de movimento e a mobilidade geral
  • Reduz o risco de incapacidade causada por dores nas costas

Dicas gerais de alongamento para aliviarem dores nas costas

  • Use roupas confortáveis ​​que não prendam ou restrinjam os movimentos
  • Não force o corpo em posições difíceis ou dolorosas – o alongamento deve ser indolor
  • Faça um alongamento lentamente e evite saltar, o que pode causar tensão muscular
  • Estique-se em uma superfície limpa e plana, grande o suficiente para se mover livremente
  • Mantenha os alongamentos por tempo suficiente (15 a 30 segundos) para alongar adequadamente os músculos e melhorar a amplitude de movimento 1
  • Repita um alongamento entre 2 e 5 vezes – um músculo geralmente atinge o alongamento máximo após cerca de 4 repetições
  • Alongue um lado do corpo de cada vez.

Manter o programa de exercícios ao longo do tempo

A adesão ao exercício é um dos fatores mais importantes para o alívio da dor a longo prazo. No entanto, manter o exercício pode ser difícil por vários motivos, incluindo agravamento da dor com a atividade, restrições económicas e falta de motivação. 

Num estudo (ver referências), a razão mais comum para a falta de adesão ao exercício foi o aumento da dor causada pela atividade. Quando for esse o caso, um profissional do exercício pode incorporar a redução e o controlo da dor como partes principais da prescrição de exercícios.

A preferência pessoal também desempenha um papel na adesão por exemplo, se uma rotina de exercícios for demasiado dolorosa ou pouco agradável, é menos provável que seja praticada regularmente o suficiente para ser eficaz.

FORMAÇÃO E APLICAÇÃO

A especificidade da formação contínua nunca é demais.

O CEFAD é uma referência da formação onde há cursos de qualidade superior para apetrechar as valências dos especialistas em exercício físico enaltecendo o conhecimento das causas e efeitos dos desvios posturais e, essencialmente, a optimização da avaliação e prescrição de exercício planeado e estruturado condizente à situação clínica individual.

Bibliografia

Leijon ME, Faskunger J, Bendtsen P, Festin K, Nilsen P. Quem não adere às recomendações de atividade física e por quê?.  Cuidados de Saúde. 2011;29(4):234-40.

Clark, M.A. & Luccet, S.C. NASM essentials of corrective exercise training. 2011

Conceito Atuais em Alongamento Muscular para Exercício e Reabilitação. Jornal Internacional de Fisioterapia Desportiva. 2012;7(1):109-119.

Gostaste deste artigo? Partilha com os teus amigos :

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Centro Formação CEFAD
Centro Formação CEFAD
Índice
Blog Posts em Destaque
Linguagem um Elemento Transformador Dicas CEFAD photo

A linguagem como elemento transformador

A linguagem é um elemento poderoso que molda a forma como olhamos o mundo ao nosso redor. Ela deve ser pensada como um lugar de interação, de constituição de identidades, de representação de papeis, de negociação de sentidos e encarada não só como forma de representação do mundo, mas essencialmente, como forma de interação social.

Conversas de ginásio: A gíria ginasiana

Conversas de ginásio: A gíria ginasiana

O profissional do fitness é um caso paradigmático do uso da gíria. Também ele tem vindo a contribuir para o enriquecimento lexical da língua portuguesa com palavras e expressões que atestam a singularidade da linguagem ginasiana (chamemos-lhe assim). Língua viva A língua é como um músculo, precisa de estar em constante movimento ou então esmorece,

Leijon ME, Faskunger J, Bendtsen P, Festin K, Nilsen P. Quem não adere às recomendações de atividade física e por quê?. Cuidados de Saúde. 2011;29(4):234-40. - Clark, M.A. & Luccet, S.C. NASM essentials of corrective exercise training. 2011 - Conceito Atuais em Alongamento Muscular para Exercício e Reabilitação. Jornal Internacional de Fisioterapia Desportiva. 2012;7(1):109-119.

Reabilitação Muscular da Coluna Vertebral nos Desvios Posturais e Dor de Costas

Existem dois tipos de pessoas: As que têm dores de costas e…… ….as que vão ter dores de costas!! Segundo a Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, 7 em cada 10 portugueses sofrem ou já sofreram de dores nas costas. 80% das lombalgias são de origem mecânica e uma grande percentagem deve-se a razões

Scroll to Top