Introdução à Osteopatia

As profissões associadas às Terapias Complementares estão em franco desenvolvimento.

O curso de Introdução à Osteopatia tem um referencial de formação que permite dotar os formandos de competências no âmbito da Osteopatia, capacitando-os de conhecimentos por forma a elaborar um diagnóstico, reconhecendo as diversas articulações que compõe o corpo humano referente aos membros inferiores, superiores e à coluna vertebral.

A formação promove o conhecimento na identificação de patologias, disfunções mais comuns, sendo os formandos capazes identificar e aplicar tratamentos gerais e específicos na prática clínica.

Além dos conteúdos básicos de anatomia, o curso tem uma componente de biomecânica, terapia manual e patologias, fundamentais para quem quiser ter um leque alargado de ferramentas de trabalho.

Esta formação não confere grau académico de Licenciado em Osteopatia e não permite o acesso à cédula de Osteopatia.

A formação tem como objetivo maximizar as competências de avaliação do sistema músculo-esquelético e tratamento manual por forma a capacitar o formando a identificar disfunções e planear um programa de intervenção podendo aplicar as técnicas abordadas na sua prática clínica. O formando torna-se, portanto, um técnico especializado.

Programa: 150 horas

  • Planos e Posição Anatómica

  • Locomoção: Tipos de movimento articular

  • Pele: Importância, Camadas, Funções

  • Sistema Ósseo (Osteologia): Funções, Estrutura dos ossos, Classificação dos ossos, Esqueleto (ossos do tronco, ossos dos membros)

  • Sistema articular: Classificação, Constituição (ligamentos e estruturas que compõe a articulação)

  • Miologia: Classificação, Funções

  • Osteologia, Artrologia e Miologia do membro superior

  • Osteologia, Artrologia e Miologia do membro inferior

  • Osteologia, Artrologia e Miologia da coluna

  • Definir músculo agonista, antagonista e sinergista

  • Definir contração excêntrica e concêntrica

  • Definir contração isométrica e isotónica

  • Análise de movimento

  • Identificar os exercícios a recomendar ao paciente consoante o seu caso clínico

  • Aparelho locomotor: contusão muscular, contratura muscular, entorse ligamentar, estiramento/rutura muscular, tendionpatias

  • Patologias da coluna vertebral: alterações posturais, discopatias, cervicalgia/dorsalgias/lombalgias, espondilolistese, cervico-braquialgia, síndrome do desfiladeiro torácico

  • Patologias de membro superior: Fratura da Clavícula, Fratura da extremidade distal do rádio, Fratura de Galeazzi, Luxação do Ombro, Tennis elbow e Golfer’s elbow, Síndrome do Túnel Cárpico, Síndrome do Canal de Guyon, Lesão da Coifa dos Rotadores, Lesões da Cápsula Articular, Conflito Sub-acromial, Capsulite adesiva, Fratura de Colles e Smith, Tenossinovite de Quervain, Contratura Dupuytren e fratura do escafóide

  • Patologias da coxa: síndrome do piramidal e coxartrose

  • Patologias do joelho: alterações fisiológicas (valgismo e varismo), instabilidade da rotula (luxação e condromalácia), gonartrose, meniscopatia, rutura de ligamentos, tendinite do rotuliano e da pata-de-ganso e quistos de baker

  • Patologias de pé e tibiotársica: Pé Plano/Cavo, Fratura da Tíbia/Perónio, Entorse da T.T., Síndrome do Túnel Társico, Fascite Plantar, Metatarsalgia, Esporão do Calcâneo, Neuroma de Morton e Fratura do 5º Metatarso

  • História da Osteopatia

  • Leis base da Osteopatia

  • Diferença entre Osteopatia, Quiropráxia e Fisioterapia

  • Conduta com o paciente: consentimento informado, direitos do paciente e obrigações do profissional

  • Tipos de barreiras: anatómica, fisiologia e parafisiologica

    Indicações e

  • Contraindicações das técnicas

  • Técnicas: Manipulações, Muscle Energy Technique (MET) e Mobilizações articulares

  • Avaliação e Diagnóstico

Discussão de casos clínicos

Objetivos

  • Situar a osteopatia nas medicinas complementares e compreender a forma como é feita a avaliação do equilíbrio orgânico

  • Identificar as indicações e contraindicações da osteopatia

  • Identificar as estruturas orgânicas e as suas funções

  • Adquirir conhecimentos sólidos na área da anatomofisiologia, biomecânica e fisiopatologia

  • Identificar as características de algumas doenças e lesões que comprometem o sistema músculo-esquelético

  • Reconhecer as técnicas manipulativas e tratamentos osteopáticos

  • Identificar as indicações, contraindicações e os princípios da Osteopatia

  • Diferenciar as etapas da avaliação osteopática

  •  Adquirir aptidões técnicas e manipulativas específicas

  • Aplicar raciocínio clínico com base na teoria osteopática

  • Capacidade para identificar disfunções músculo-esqueléticas, planear um programa de intervenção e aplicar como tratamento técnicas de correção manual, em função das disfunções músculo-esqueléticas identificadas.

Introdução à Osteopatia

Carga Horária

150 Horas

Destinatários

Todos aqueles que tenham interesse/vocação em áreas relacionadas com a promoção da qualidade da saúde e que possuam escolaridade mínima obrigatória e idade mínima de 18 anos.

Formato

Presencial

Saídas Profissionais

SPASs, Centros de Terapias, Institutos, Health Clubs, Clínicas especializadas de Estética, etc.

Requisitos

Escolaridade Mínima Obrigatória.

Aulas Teórico-Práticas

Esta formação contém uma componente prática

Pedido de Informação






    Scroll to Top